Ovo: de vilão a parceiro da saúde

O ovo, alimento amplamente consumido no mundo é pouco calórico e aumenta a sensação de saciedade. Por ser fonte de proteína, ele também é um auxiliador de ganho de músculos, além de oferecer diversas vitaminas e minerais que são essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Com os estudos científicos realizados ao longo dos anos, nós hoje sabemos que a quantidade de colesterol presente no ovo traz pouca influência no que diz respeito à elevação dos níveis de gordura no nosso sangue, diferente dos alimentos ricos em gorduras saturadas, como cortes gordos de carne vermelha, queijos amarelos, óleos cozidos em altas temperaturas e leite integral, que trazem inúmeros malefícios para a saúde do coração, quando consumidos com frequência.

Ao contrário dos alimentos ricos em gorduras saturadas, o ovo apresenta uma concentração de gorduras totais em torno de 5 gramas, sendo que destes, apenas 1,5 grama é de gordura saturada. Em outras palavras, o consumo regular de ovo não é prejudicial à saúde, desde que se evite a versão frita.

Segundo uma pesquisa da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos EUA, a quantidade saudável de unidades de ovo em um cardápio, ou seja, cuja alteração de taxas de colesterol no sangue é baixa, é de até 7 ovos por semana. A pesquisa avaliou cerca de 120 mil homens e mulheres que apresentavam boa saúde, em um período de dez anos. Os especialistas, entretanto, recomendam que o consumo de ovo seja moderado para aqueles que apresentam colesterol alto. A quantidade para esses indivíduos não deve ser maior do que três ovos por semana.

DIETA

Outra característica positiva do ovo que foi conhecida pelo público há não muito tempo é o fato dele ser um alimento que auxilia no processo da perda de peso, segundo uma pesquisa realizada no Departamento de Obesidade do Centro de Pesquisa Biomédico da Universidade Pennington, localizada no estado de Louisiana, nos EUA.

A responsável por esse auxílio é a proteína de boa qualidade, encontrada no ovo. Isso se deve ao fato dela ser formada por aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que o nosso organismo não possui a capacidade para produzir. O fato do ovo possuir boa proteína faz com que haja maior sensação de saciedade quando o consumimos, mérito da proteína.

Outro benefício do seu consumo é que ele desacelera a digestão, o que atrasa o surgimento do apetite. Não é à toa que diversos países têm o hábito cultural de consumir ovo no café da manhã. Quando consumido pela parte da manhã, o ovo faz com que a gente sinta menos fome ao longo do dia, o que nos leva a comer menos, reduzindo a quantidade de calorias ingeridas durante todo o dia.

MÚSCULOS

Além de ajudar no processo do emagrecimento, o ovo é um excelente alimento para a firmeza do corpo, uma vez que ele não somente ajuda no crescimento dos músculos, como também na manutenção dos mesmos. Isso é possível graças à leucina, um aminoácido que se encontra na proteína da clara, cujo consumo traz benefícios para os músculos.

A leucina está amplamente presente nos suplementos nutricionais que os atletas e praticantes de atividades físicas (como a musculação) ingerem para a obtenção de músculos. A clara do ovo não somente ajuda no combate à flacidez, como também é mais saudável que a gema, pois apresenta apenas cerca de 15 calorias, além de ser livre de gorduras e colesterol.

Apesar da gema possuir gordura o seu consumo não deve ser totalmente descartado, pois é nela que se concentra a maior parte de minerais e vitaminas do ovo. Ou seja, o consumo do ovo inteiro (clara e gema) é benéfico para a saúde, o que torna o ovo um alimento especial.

CÉREBRO

O ovo é rico em proteínas, mas não somente nisso. Na sua gema se concentra uma grande quantidade de colina, um integrante do complexo B. A colina contribui positivamente para a formação de novos neurônios, o que faz dela um componente importante para a saúde do nosso cérebro. O consumo diário recomendado de colina é de algo em torno de 126 miligramas, exatamente a quantidade encontrada na gema. Esse consumo diminuir o risco do surgimento de diversas doenças degenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson.

As substâncias antioxidantes presentes no ovo, como, por exemplo, as vitaminas A, D, E e K, o magnésio, o selênio, o ferro, o cálcio, o zinco e o manganês fazem dele um poderoso combatente contra o envelhecimento precoce das nossas células, retardando o aparecimento de rugas e reduzindo as chances de doenças crônicas e hipertensão virem a acontecer.

DICAS

É importante que antes de comprar a caixa de ovos você verifique a data de validade e também se há o selo oficial de inspeção na embalagem. Outra coisa que deve ser observada antes da compra é a casca e seu aspecto. Ela deve apresentar uma aparência limpa e estar livre de trincas e rachaduras.

O armazenamento do ovo é outra etapa importante que deve ser seguida antes do consumo do alimento. Apesar de muitas pessoas guardarem os ovos no ambiente externo da cozinha, é recomendável que você os guarde dentro da geladeira. Entretanto, evite o armazenamento dos ovos na porta da geladeira sem uma base que os suporte, pois os movimentos de abrir e fechar da porta podem fazer com que eles se quebrem.

Não lavá-los antes de guardá-los na geladeira também é importante, pois a umidade nas cascas pode levar ao surgimento de microrganismos nos ovos. Opte por lavá-los antes de seu uso.

Uma dica para quando você for ferver o ovo a casca dele não se quebrar é adicionar uma colher (sopa) de vinagre na água que será fervida. Cinco minutos na água fervente são suficientes para que o ovo fique mole. Já para ele ficar mais duro, deixe-o ferver por cerca de 9 minutos.